ANCP disponibiliza lote de inscrições gratuitas para Simpósio
17 de abril de 2017

Parceria estabelecida pela ANCP e a Santa Casa de Alfenas resultou na disponibilização, para associados da ANCP, de um lote de 10 inscrições gratuitas para o II Simpósio de Dor e Cuidados Integrais. O evento, que está previsto para ocorrer entre os dias 11 e 15 de maio no Alfenas Tênis Clube em Alfenas-MG, será aberto com a fala do Dr. André Filipe Junqueira dos Santos, vice-presidente da ANCP, que irá explanar sobre “Fundamentos, princípios e objetivos dos cuidados paliativos”.

As isenções serão concedidas aos 10 primeiros associados com a anuidade em dia que enviarem um e-mail para o endereço contato@paliativo.org solicitando a gratuidade e indicando nome completo e CPF.
Na agenda do II Simpósio de Dor e Cuidados Integrais estão contemplados vários temas sobre cuidados paliativos, como “comunicação de más notícias, “mudança de cultura e desafios da implantação do serviço de cuidados paliativos” e “bioética e cuidados paliativos, entre outros.

Saiba mais sobre o evento e acesse a íntegra da programação no aqui: http://www.paliativo.org.br/evento_detalhe.php?eid=465

  • Twitter
  • Facebook
  • del.icio.us
  • Google Bookmarks
  • Live
  • Netvibes
  • LinkedIn
  • Digg
  • RSS
  • email
Reconhecimento internacional
29 de março de 2017

O vice-presidente da ANCP Dr. André Filipe Junqueira dos Santos tornou-se o primeiro médico brasileiro a ser agraciado com o International Development and Education Award in Palliative Care (IDEA-PC), prêmio internacional sobre desenvolvimento e educação em cuidados paliativos conferido pela Conquer Cancer Foundation da American Society of Clinical Oncology (ASCO).

A honraria foi criada em 2011 e tem como objetivo colocar oncologistas de países em desenvolvimento em contato direto com os membros da ASCO que atuam na área de cuidados paliativos.

Pelo programa, um membro líder da ASCO se torna mentor científico do profissional vencedor, que terá a oportunidade de acompanhar a Reunião Anual da ASCO, além de visitar a instituição do mentor e desenvolver com ele um projeto de longo prazo, incluindo um estágio de pesquisa a ser realizado nos Estados Unidos. A ideia é que o premiado de cada ano, ao retornar, compartilhe o conhecimento e a formação que receberem com os colegas de seu país de origem.

A escolha pelo vencedor leva em consideração o contexto geral de sua atuação, com a avaliação tanto da produção científica do candidato como também o real impacto dos cuidados paliativos trabalho realizado na instituição onde está alocado.

“A premiação é mais uma indicação inequívoca de que os cuidados paliativos estão crescendo no Brasil e do reconhecimento internacional da sua relevância, algo que é resultado também do trabalho realizado pela ANCP ao longo dos últimos anos. Fico muito feliz por esta distinção ser oriunda da maior instituição americana de oncologia”, afirma Dr. Junqueira. “Espero que nos próximos anos outros colegas brasileiros tenham oportunidade de recebê-lo também”.

A Reunião Anual da ASCO (http://am.asco.org/) deste ano será realizada entre os dias 2 e 6 de junho, em Chicago.

Mais informações sobre o International Development and Education Award in Palliative Care (IDEA-PC) estão disponíveis aqui: https://www.conquercancerfoundation.org/grants-awards/funding-opportunities

  • Twitter
  • Facebook
  • del.icio.us
  • Google Bookmarks
  • Live
  • Netvibes
  • LinkedIn
  • Digg
  • RSS
  • email
ANCP apoia o X Simpósio Jurídico de Judicialização da Saúde
24 de março de 2017

A judicialização da saúde, o acesso e as distorções do Direito estarão em debate na décima edição do Simpósio Jurídico, evento que reunirá profissionais renomados do Direito e da Saúde nos dias 28 e 29 de março, no Espaço Toledo, na cidade de Presidente Prudente-SP. O evento conta com o apoio da Unimed Prudente e Associação Nacional de Cuidados Paliativos (ANCP).

No encontro, grandes nomes do Direito e da Saúde discutirão o tema com a participação de acadêmicos e profissionais dos setores envolvidos. A abertura, às 8h do dia 28, tratará da judicialização e a efetivação dos direitos sociais em uma palestra de André Karam Trindade e intervenções do presidente da 29ª. Subsecção da OAB Prudente, Rodrigo Lemos Arteiro, além de Guilherme Alcântara, Renato Herbella e Pedro Augusto de Souza.

Outro destaque do primeiro dia é a palestra a ser realizada às 20h, com o tema “A PEC 55 e a judicialização da saúde”, ministrada por Rodrigo Marinho e com intervenções de Daniel Gustavo de Oliveira Colnago Rodrigues, Guilherme Bohac de Haro, Cristiano Lourenço Rodrigues e Gabriel Lino de Paula Pires.

Na quarta-feira, dia 29, às 9h, os direitos humanos e judicialização na proteção das minorias serão debatidos por Fabiana Junqueira Tamaoki Neves, Ana Laura Teixeira Martelli Theodoro e Carla Destro.

No encerramento do simpósio, às 20h, será promovido um debate com mediação de Claudia Collucci, repórter especial de saúde do jornal Folha de S. Paulo. Serão debatedores no encontro: Dr. Arthur Pinto Filho, membro do Comitê Executivo Nacional do Fórum de Saúde do Conselho Nacional de Justiça (CNJ); Dra. Cristina Mattioli, Advogada e Doutora em Saúde; Dr. Douglas Henrique Crispim, secretário nacional da Academia Nacional de Cuidados Paliativos (ANCP); Dr. Walmir Pinto, secretário municipal de Saúde; Dr. André Felício, promotor de justiça.

Contextualizando

Não é de hoje que o estado tenta conter o fenômeno da judicialização da saúde. Somente no ano passado o governo paulista gastou mais de R$ 1 bilhão para cumprimento de decisões judiciais sobre medicamentos e tratamentos. Números da Secretaria de Estado da Saúde apontam que foram atendidas mais de 47 mil decisões da justiça e que os novos processos somam 17,7 mil – 2% menos do que em 2015, quando chegaram a 18 mil novas ações. Em todo o estado de São Paulo, são, em média 4,065 ações para cada 10 mil habitantes.

Segundo David Uip, secretário de Estado da Saúde, está em marcha uma série de ações governamentais para conter o forte impacto financeiro na gestão de saúde do estado advindo da judicialização.

“Estamos falando de um problema que afeta todo o sistema de saúde e, no caso da saúde pública, faz com que parte dos recursos que seriam para atenção integral da população sejam destinados para cumprimento de demandas judiciais que atendem uma parcela muito pequena desta mesma população”, disse em visita recente à Presidente Prudente.

Ainda segundo a Secretaria de Estado da Saúde, as demandas judiciais vêm, na sua maioria, com prescrição particular – seja medicamento e/ou tratamentos -; quase a totalidade de pedidos de demandas por medicamentos são de itens extraordinários ao SUS (Sistema Único de Saúde); itens que trazem marcas específicas ou importados sem registro na ANVISA e, nesses casos nem sempre com eficácia probatória.

X Simpósio Jurídico de Judicialização da Saúde
28 e 29 de março de 2017
Espaço Toledo
Rua Alvino Gomes Teixeira, 245 – Pq. Furquim
Presidente Prudente – SP
Convites esgotados

  • Twitter
  • Facebook
  • del.icio.us
  • Google Bookmarks
  • Live
  • Netvibes
  • LinkedIn
  • Digg
  • RSS
  • email
Estratégias para o biênio
24 de março de 2017

Reuniao

Estratégias para o biênio

Os objetivos e metas para a gestão 2017-2019 da ANCP foram debatidos durante reunião realizada no dia 11 de março no Hospital Sírio Libanês em São Paulo-SP. O evento proporcionou um encontro dos membros da diretoria com os representantes das regionais da entidade, possibilitando a definição de estratégias baseadas nas diferentes manifestações dos Cuidados Paliativos no Brasil, conforme relatos dos participantes.

“Foi aberto espaço para que apresentássemos o atual status e as dificuldades enfrentadas pelos cuidados paliativos em nossas regiões, algo importante pela enorme discrepância existente; atuar em cuidado paliativo no Sul é completamente diferente do que no Nordeste”, conta a Dra. Gisele dos Santos, presidente da Regional Sul da ANCP.

O encontro teve como foco três pilares, trabalhados em dinâmicas: Cuidados Paliativos no Brasil nos próximos dois anos; a ANCP nos próximos dois anos; e a realização do Congresso Internacional de Cuidados Paliativos em 2018 na cidade de Salvador-BA. A proposta de trabalho foi de agrado dos presentes. “A gestão atual demonstrou possuir administradores que valorizam os feitos da diretoria anterior, fomentando melhorias por meio de seu estilo próprio de liderança e o uso de ferramentas efetivas e eficazes para a proposição de modificações benéficas para o desenvolvimento e fortalecimento dos cuidados paliativos no Brasil”, destaca a Dra. Danielle Soler Lopes, presidente da Regional Norte-Nordeste da ANCP.

As atividades envolveram, inclusive, a análise da matriz SWOT, que avaliou as Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças da Academia. “Uma das ameaças identificadas é o crescimento dos cuidados paliativos vir acompanhado por más práticas, algo muito prejudicial. A ANCP precisa se posicionar como um catalisador do desenvolvimento do setor e atuar na orientação para implementação de cuidados paliativos de qualidade”, afirma o Dr. Daniel Forte, presidente da ANCP.

Segundo Dr. Forte, a visão abrangente do momento dos cuidados paliativos nas diferentes regiões do País veio se somar aos dados coletados na pesquisa realizada com os associados da Academia (cujos principais resultados podem ser conferidos aqui: http://www.paliativo.org.br/noticias/2017/02/pesquisa-com-associados-revela-momento-relevante-dos-cuidados-paliativos/). O cruzamento destas informações irá basear o planejamento das ações da diretoria. “O que mais nos motiva é o grande número de pessoas que quer colocar a mão na massa ativamente em prol dos cuidados paliativos na sociedade, porque sabemos que quem atua nesta área ainda nada contra a corrente, contra um pensamento vigente”, reforça.

  • Twitter
  • Facebook
  • del.icio.us
  • Google Bookmarks
  • Live
  • Netvibes
  • LinkedIn
  • Digg
  • RSS
  • email
Simpósio envolve acadêmicos na temática dos cuidados paliativos
21 de março de 2017

O I Simpósio de Cuidados Paliativos organizado pela Liga Acadêmica de Cuidados Paliativos da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – PALLIUM reuniu 440 pessoas no sábado, dia 18 de março, para um intenso debate sobre a atenção ao paciente cuja doença ameaça a vida. O evento foi apoiado pela Regional Sudeste da ANCP.

Tendo como público acadêmicos dos cursos de saúde da PUC Minas e de outras instituições de ensino, bem como profissionais das diversas áreas associadas aos cuidados paliativos, a iniciativa apostou no formato didático, com três palestras, duas mesas redondas e dois colóquios acadêmicos, trazendo experiências paliativistas dos palestrantes e promovendo aproximação com a plateia. Além disso, a agenda abriu espaço para os lançamentos dos livros “E a vida continua”, de autoria de Gláucia Rezende Tavares e Eduardo Carlos Tavares; e “A morte é um dia que vale a pena viver”, de Ana Claudia Quintana Arantes.

O mote central do evento Sensibilizar e integrar para bem cuidar foi discorrido em palestras que falaram sobre “Cuidados Paliativos e Educação em saúde”, ministrada pela Dra. Maria das Graças Mota de Figueiredo (FMIt – Itajubá/MG); “Diretivas Antecipadas de Vontade”, tema apresentado pela Dra. Luciana Dadalto (Newton Paiva e Faculdade Batista/MG); “A morte ensina a viver”, abordagem defendida pela Dra. Ana Claudia Quintana Arantes (Casa do Cuidar/SP e Humana Vida); enquanto a Dra. Cristiana Savoi (SOTAMIG) destacou a “A importância da equipe multidisciplinar”.

A primeira mesa-redonda, coordenada pelo Dr. José Ricardo de Oliveira (UNIMED/BH), teve falas da Dra. Gláucia Rezende Tavares (Rede API/MG) que tratou do assunto “Dignificar a morte”, e da Dra. Filomena do Vale (SANTA CASA/BH), que comentou sobre “Transmissão de notícias difíceis”. A segunda, sob coordenação do Dr. Eduardo Carlos Tavares, manteve o foco nos “Cuidados Paliativos na Atenção Primária de Saúde” e contou com a participação das doutoras Marina Corradi, Fabiane Silva, Sabrina Barbosa, Thaís Ker Werner.

Em comunicado divulgado após o evento, a Liga PALLIUM informou ter recebido inúmeras mensagens, vídeos e depoimentos de participantes que, depois de acompanharem as discussões, se sentiram inspirados e motivados na busca por um cuidado mais sensível à dor e ao sofrimento dos pacientes.

  • Twitter
  • Facebook
  • del.icio.us
  • Google Bookmarks
  • Live
  • Netvibes
  • LinkedIn
  • Digg
  • RSS
  • email